Afastando jovens do crime

 

Rotary Clubs do Canadá investem no programa PACT, uma iniciativa de paz urbana que visa quebrar o ciclo da criminalidade juvenil

Por Ryan Hyland, produzido por Andrew Chudzinski

Akeem Stephenson queria ir para a cadeia, pois acreditava que era a única maneira de se livrar de uma vida criminosa, uma vida que queria desesperadamente mudar. 

Mais de 10 anos atrás, após ser preso pela quarta vez, por roubo qualificado, o adolescente de Toronto, Canadá, foi condenado à prisão. Mas o juiz viu em Stephenson algo que sugeria a sua possível redenção. Então, deu a ele uma escolha: participar de um programa de 18 meses para jovens ou cumprir a sentença de seis meses. 

Akeem Stephenson usou o programa PACT para mudar sua vida e lançar sua carreira musical. 

A escolha era clara para Stephenson, que decidiu transformar sua vida por meio do programa de paz urbana PACT.

O PACT, sigla em inglês para participação, reconhecimento, compromisso e transformação, é uma instituição de caridade premiada, com sede em Toronto, que conta com o apoio de Rotary Clubs do Canadá. Ela trabalha com jovens em situação de risco e com aqueles que cometeram crimes, e visa mudar a direção de suas vidas. O empreendedor e rotariano de Toronto, David Lockett, cofundou o programa há mais de 20 anos. 

O programa de passos intensivos visa quebrar o ciclo da pobreza e do comportamento criminoso. Seu objetivo é determinar o que os participantes precisam e desenvolver estratégias “para colocar suas vidas em um caminho positivo, para que possam enriquecer não apenas suas próprias vidas, mas sua comunidade”, afirma Lockett, associado do Rotary E-club de Inovadores Sociais do Distrito 7090. 

Lockett diz que o PACT constrói a paz nas comunidades urbanas. “O programa trata de olhar para o impacto da violência e do comportamento criminoso e compreender a dinâmica do problema, criando soluções altamente eficazes para fazer investimentos em jovens que se encontram em situação de risco em um estágio inicial”, explica. “É muito simples. Se você quer ajudar jovens em situação de risco, precisa entender as necessidades que eles têm.”

Ele reconhece que os jovens que cometem crimes devem ser responsabilizados e, para muitos deles, isso inclui cumprir pena na prisão. Mas, para alguns, aqueles cujas “origens são miseráveis e deploráveis”, com pouquíssima orientação dos pais, o PACT é um recurso que pode mudar suas vidas e reduzir a probabilidade de cometerem mais crimes. 

A organização trabalha com o sistema judiciário para identificar reincidentes entre 12 e 19 anos que possam se beneficiar do programa. Depois de um adulto ser condenado por um crime, o juiz ou oficial do judiciário o encaminha ao PACT como parte de uma ordem de liberdade condicional. 

Juízes do Canadá veem como o programa PACT pode reduzir a criminalidade juvenil e ajudar os infratores a ficar fora do sistema judiciário.

Crucial para o sucesso do PACT é seu programa de coaching de planejamento de vida, um sistema de intervenção intenso que une um participante a um coach de vida certificado. Os dois se encontram toda semana por 12 a 18 meses a fim de estabelecer metas em seis áreas principais: educação, emprego, saúde, relacionamentos, contribuição para a comunidade e permanência fora do sistema de justiça criminal. O coaching de vida é um processo de conversa que fornece estrutura e reconhecimento, fortalece a capacidade e o autoconhecimento e promove o aprendizado e a ação autodirigidos. Isso acaba ajudando o jovem a ir de onde está hoje para onde quer estar no futuro. 

“O coaching de planejamento de vida do PACT difere do modelo tradicional de terapia ou aconselhamento, pois não se concentra no passado da pessoa, mas no presente e no futuro”, explica Lockett. O programa inovador apresenta uma taxa de sucesso de 65%, o que significa que o jovem concluiu o programa sem reincidir. 

Foi o relacionamento com seu coach de vida que deu a Stephenson a visão e confiança para reformular seu futuro. “O programa PACT muda a nossa mentalidade”, avisa ele. “Eles nos dão o plano, mas cabe a nós colocá-lo em prática.”

Desde então, Stephenson obteve seu certificado de equivalência do ensino médio e começou a trabalhar em uma central de atendimento. Também aperfeiçoou sua paixão pela música com os programas de habilidades profissionais e de vida do PACT, nos quais os participantes aprendem por meio da exposição prática a atividades como produção de música e filmes, culinária, jardinagem e empreendedorismo. 

O Rotary traz compaixão

Até o momento, quase 30 clubes da área de Toronto já apoiaram o PACT, muitos com compromissos anuais de US$3.600 ou mais para financiar o programa, de acordo com Lockett. 

Os participantes do PACT podem aperfeiçoar suas habilidades com os programas de serviços à comunidade de habilidades profissionais e de vida, o que lhes dá exposição prática a atividades como música, produção de filmes, culinária, jardinagem e empreendedorismo.

Mas os Rotary Clubs também estão desempenhando um papel mais profundo no PACT. As duas organizações criaram o programa de mentoria para jovens PACT/Rotary, que permite aos associados se conectarem diretamente aos participantes. 

Liz Bosma-Donovan, assistente social e associada do Rotary Club de Wellington, em Ontário, é a primeira embaixadora do Rotary no PACT. Ela trabalha com Rotary Clubs para encontrar rotarianos dispostos a se tornarem mentores. 

“Depois de aprender sobre o PACT e trabalhar com David [Lockett] em projetos, vi que o Rotary estava perdendo uma oportunidade de criar uma conexão mais significativa”, conta Bosma-Donovan. “Queremos melhorar o sentimento de pertencimento dos jovens, fazendo com que se sintam mais parte da comunidade. O Rotary está posicionado de forma única na comunidade para promover essas conexões.”

Por exemplo, os rotarianos podem ajudar um participante do PACT a encontrar oportunidades de voluntariado, tirar sua carteira de motorista ou conseguir entrevistas de emprego. 

“Nossos associados são atenciosos e compassivos”, diz Bosma-Donovan. “Isso é crucial para provocar mudanças e reconstruir suas vidas.”